Follow by Email

Translate

domingo, 23 de outubro de 2016

HORÁRIO DE VERÃO: PURA ENGANAÇÃO!

ERNANI SARTORI

O governo brasileiro sempre propala aos quatro cantos que o horário de verão traz muita economia de energia, mas, ao analisarmos numérica e detalhadamente a questão vemos que isso é pura enganação. A ideia do horário de verão é a de acrescentar uma hora ao relógio para que a economia se dê na parte da tarde, pois assim sobra mais luz natural depois do expediente e, então, supostamente há menos gastos com iluminação artificial. Mas, o governo nunca diz que para isso é preciso gastar mais e muito mais de manhã. Vamos analisar as várias tabelas mostradas abaixo.       
As Tabelas 1 e 2 apresentam as horas de nascer e pôr do sol dos horários normal e do verão, respectivamente, juntamente com as diferenças DM e DT (da manhã e da tarde) bem como a diferença entre si, para o primeiro e último dia útil de cada semana durante a vigência do horário de verão 2016–2017 para a cidade de São Paulo. Apenas esses dias úteis foram adotados para não tornar as tabelas muito extensas e para representarem os gastos de luz ou energia das casas da grande massa de trabalhadores daquela capital, cujos gastos também podem valer para todo o Estado de São Paulo e outras regiões do Brasil. Considerou-se que a maior parte dos trabalhadores acorda às 5:00, que as luzes das suas casas são acesas nesta hora e permanecem assim até a hora do nascer do sol e que a maior parte das atividades profissionais começa às 7:00 e se encerra às 18:00. Essas horas do relógio valem tanto para o horário normal quanto para o horário de verão. No horário de verão a hora de inicio das atividades profissionais, incluindo escolas, continua a mesma do horário normal e isso faz uma enorme diferença. Sabemos também que na cidade de São Paulo muita gente acorda bem mais cedo para poder chegar a tempo no trabalho, porém, vou adotar duas horas de antecedência. 
Ou seja, nas Tabelas 1 e 2 serão comparados os gastos de energia da manhã com a dita economia de energia da tarde para os dias considerados da vigência do horário de verão. As tabelas referentes ao horário normal correspondem ao período do horário de verão, mas supondo que este horário não tivesse sido adotado, isto é, os dias funcionando com o horário normal. Resultados em minutos.  
Desta forma, para o horário normal, 
DM = hora nascer do sol – 5:00.                                      
DT = hora pôr do sol – 18:00.    
No horário de verão, o início e fim das atividades profissionais diárias continuam os mesmos (7:00 e 18:00) e, então, as pessoas continuam se acordando às 5:00, todas essas sendo as horas do relógio. Assim, para o horário de verão, 
DM = hora nascer do sol – 5:00                             
DT = hora pôr do sol – 18:00
Porém, no horário de verão o nascer e o pôr do sol acontecem uma hora à frente do horário normal. Por exemplo, o que era 05:32 e 18:12 passou a ser 06:32 e 19:12.

DT – DM representa a economia de energia em minutos que ocorre no período total da vigência do horário de verão, levando em conta ambos os horários.

TABELA 1 – HORÁRIO NORMAL – ACORDAR ÀS 5:00
DIA
NASCER
DM
PÔR
DT
DT-DM
17/10
05:32
32
18:12
12

21
05:28
28
18:14
14

24
05:26
26
18:15
15

28
05:23
23
18:18
18

31
05:21
21
18:19
19

04/11
05:19
19
18:22
22

07
05:17
17
18:23
23

11
05:15
15
18:26
26

14
05:14
14
18:28
28

18
05:13
13
18:31
31

21
05:12
12
18:33
33

25
05:11
11
18:36
36

28
05:11
11
18:38
38

02/12
05:11
11
18:40
40

05
05:12
12
18:43
43

09
05:13
13
18:45
45

12
05:13
13
18:47
47

16
05:15
15
18:49
49

19
05:16
16
18:51
51

23
05:18
18
18:53
53

26
05:20
20
18:55
55

30
05:22
22
18:56
56

02/01
05:24
24
18:57
57

06
05:27
27
18:58
58

09
05:29
29
18:58
58

13
05:32
32
18:59
59

16
05:34
34
18:59
59

20
05:37
37
18:58
58

23
05:39
39
18:58
58

27
05:42
42
18:57
57

30
05:44
44
18:56
56

03/02
05:47
47
18:54
54

06
05:49
49
18:52
52

10
05:51
51
18:50
50

13
05:53
53
18:48
48

17
05:56
56
18:46
46

Total

946

1.524
578


Agora começam os resultados esclarecedores. Vemos na Tabela 1 que mesmo no horário normal a economia de energia da tarde é maior do que o gasto de energia da manhã, cujos valores são 1.524 e 946, respectivamente. A diferença entre os dois números dá 578, que corresponde aos minutos de economia de luz ou energia durante a vigência do horário de verão se este horário não tivesse sido adotado.
Agora vamos olhar para a Tabela 2. Ali vemos que a economia de energia da tarde também é maior do que o gasto de energia da manhã, mas, tanto a economia da tarde quanto o gasto da manhã aumentam muito. Vemos que o gasto da manhã do horário de verão de 3.106 realmente aumenta muito e é 3,3 vezes (ou 330%) maior do que o de 946 do horário normal. Para quem precisa usar muito essas horas da manhã, a conta de luz vai aumentar muito no período. Porém, a economia da tarde também aumenta muito e na tabela vemos o valor de 3.684. Porém, vejam que a economia de energia total não mudou e continua com os mesmos 578 minutos do horário normal, dizendo-nos que o deslocamento de uma hora no relógio não reduz o consumo total, ele apenas se desloca em uma hora. No entanto, a relação 3.684/1.524 = 2,4 (ou 240%) significa que a economia de luz ou energia da tarde no horário de verão aumenta menos do que o aumento do gasto de 330% da manhã e isso explica porque o número 578 se mantém exatamente o mesmo. E também significa que o consumo de energia no horário de verão é bem maior do que no horário normal. A diferença 330 – 240 = 90% significa que no horário de verão o aumento do gasto de energia é da 90% para os dias aqui considerados. DE QUE MANEIRA ENTÃO A ECONOMIA DE ENERGIA NO HORÁRIO DE VERÃO É DE 4,5% (como o governo sempre diz) SE OS GASTOS DOS DIAS AUMENTAM 90%??

Também vemos isso verificando que para um gasto de 946 temos uma economia de 1.524/946 = 1,6 no horário normal enquanto que para um gasto de 3.106 temos uma economia de 3.684/3.106 = 1,2 no horário de verão, que significa que no horário normal a economia de energia é maior do que no horário de verão. Além disso e muito importante, a sobra de 578 minutos em ambos os horários não significa créditos que podem ser deduzidos da conta de luz, pois são minutos de energia que apenas deixam de ser gastos e isso não é sentido no bolso, mas o aumento de gastos da manhã de 3.106 – 946 = 2.160 minutos = 36 horas, correspondem sim a um real aumento na conta de luz que é sentido no bolso. E considerando todos os dias do período, esse gasto é muito maior do que 36 horas. A diferença entre 3.684 e 1.524 também dá 2.160 minutos, mais uma vez mostrando que o total do consumo é apenas deslocado e não reduzido e, também, como já vimos, esses minutos da tarde do horário de verão não são créditos para serem diminuídos da conta de energia. Esse aumento de gasto de energia na manhã chega a ser maquiavélico, pois o gasto de energia da manhã fica escondido e camuflado na suposta vantagem da tarde e, como visto aqui, dentro do mesmo gasto total. 
Só por aqui já vemos que o horário de verão serve para dar mais lucros para as empresas de energia e para o governo. Os números aqui apresentados não mentem.

TABELA 2 – HORÁRIO DE VERÃO – ACORDAR ÀS 5:00
DIA
NASCER
DM
PÔR
DT
DT-DM
17/10
06:32
92
19:12
72

21
06:28
88
19:14
74

24
06:26
86
19:15
75

28
06:23
83
19:18
78

31
06:21
81
19:19
79

04/11
06:19
79
19:22
82

07
06:17
77
19:23
83

11
06:15
75
19:26
86

14
06:14
74
19:28
88

18
06:13
73
19:31
91

21
06:12
72
19:33
93

25
06:11
71
19:36
96

28
06:11
71
19:38
98

02/12
06:11
71
19:40
100

05
06:12
72
19:43
103

09
06:13
73
19:45
105

12
06:13
73
19:47
107

16
06:15
75
19:49
109

19
06:16
76
19:51
111

23
06:18
78
19:53
113

26
06:20
80
19:55
115

30
06:22
82
19:56
116

02/01
06:24
84
19:57
117

06
06:27
87
19:58
118

09
06:29
89
19:58
118

13
06:32
92
19:59
119

16
06:34
94
19:59
119

20
06:37
97
19:58
118

23
06:39
99
19:58
118

27
06:42
102
19:57
117

30
06:44
104
19:56
116

03/02
06:47
107
19:54
114

06
06:49
109
19:52
112

10
06:51
111
19:50
110

13
06:53
113
19:48
108

17
06:56
116
19:46
106

Total

3.106

3.684
578


Mas, além dessas análises, ainda podemos fazer outras, como a de verificar o gasto de energia em minutos que as casas e a iluminação pública têm no começo do dia mais aquele do começo da noite. Para isso, o despertar acontece novamente às 5:00 da manhã e o gasto de energia vai até a hora do nascer do sol enquanto que o gasto da noite começa após o pôr do sol e vai até à próxima hora cheia da noite, isto é, 19:00 no horário normal e 20:00 no horário de verão. As horas intermediárias têm os mesmos comportamentos para ambos os horários e não entram no cômputo. Os resultados em minutos estão nas Tabelas 3 e 4. 
Desta forma, para o horário normal,
DM = hora nascer do sol – 5:00
DN =19:00 – hora pôr do sol
E, para o horário de verão,
DM = hora nascer do sol – 5:00
DN = 20:00 – hora pôr do sol 
Nas Tabelas 3 e 4, DM e DN são somados.

TABELA 3 – HORÁRIO NORMAL – ACORDAR ÀS 5:00 
DIA
NASCER
DM
PÔR
DN
DM+DN
17/10
05:32
32
18:12
48
80
21
05:28
28
18:14
46
74
24
05:26
26
18:15
45
71
28
05:23
23
18:18
42
65
31
05:21
21
18:19
41
62
04/11
05:19
19
18:22
38
57
07
05:17
17
18:23
37
54
11
05:15
15
18:26
34
49
14
05:14
14
18:28
32
46
18
05:13
13
18:31
29
42
21
05:12
12
18:33
27
39
25
05:11
11
18:36
24
35
28
05:11
11
18:38
22
33
02/12
05:11
11
18:40
20
31
05
05:12
12
18:43
17
29
09
05:13
13
18:45
15
28
12
05:13
13
18:47
13
26
16
05:15
15
18:49
11
26
19
05:16
16
18:51
9
25
23
05:18
18
18:53
7
25
26
05:20
20
18:55
5
25
30
05:22
22
18:56
4
26
02/01
05:24
24
18:57
3
27
06
05:27
27
18:58
2
29
09
05:29
29
18:58
2
31
13
05:32
32
18:59
1
33
16
05:34
34
18:59
1
35
20
05:37
37
18:58
1
38
23
05:39
39
18:58
1
40
27
05:42
42
18:57
3
45
30
05:44
44
18:56
4
48
03/02
05:47
47
18:54
6
53
06
05:49
49
18:52
8
57
s10
05:51
51
18:50
10
61
13
05:53
53
18:48
12
65
17
05:56
56
18:46
14
70
Total

946

634
1.580


TABELA 4 – HORÁRIO DE VERÃO – ACORDAR ÀS 5:00 
DIA
NASCER
DM
PÔR
DN
DM+DN
17/10
06:32
92
19:12
48
140
21
06:28
88
19:14
46
134
24
06:26
86
19:15
45
131
28
06:23
83
19:18
42
125
31
06:21
81
19:19
41
122
04/11
06:19
79
19:22
38
117
07
06:17
77
19:23
37
114
11
06:15
75
19:26
34
109
14
06:14
74
19:28
32
106
18
06:13
73
19:31
29
102
21
06:12
72
19:33
27
99
25
06:11
71
19:36
24
95
28
06:11
71
19:38
22
93
02/12
06:11
71
19:40
20
91
05
06:12
72
19:43
17
89
09
06:13
73
19:45
15
88
12
06:13
73
19:47
13
86
16
06:15
75
19:49
11
86
19
06:16
76
19:51
9
85
23
06:18
78
19:53
7
85
26
06:20
80
19:55
5
85
30
06:22
82
19:56
4
86
02/01
06:24
84
19:57
3
87
06
06:27
87
19:58
2
89
09
06:29
89
19:58
2
91
13
06:32
92
19:59
1
93
16
06:34
94
19:59
1
95
20
06:37
97
19:58
1
98
23
06:39
99
19:58
1
100
27
06:42
102
19:57
3
105
30
06:44
104
19:56
4
108
03/02
06:47
107
19:54
6
113
06
06:49
109
19:52
8
117
10
06:51
111
19:50
10
121
13
06:53
113
19:48
12
125
17
06:56
116
19:46
14
130
Total

3.106

634
3.740


Logo vemos nas Tabelas 3 e 4 e também nas Tabelas 1 e 2 que em vez das casas gastarem cerca de meia hora de luz ou energia de manhã a cada dia como acontece no horário normal, no horário de verão elas gastam cerca de uma hora e meia de luz ou energia, isto é, 86 minutos em média nos dias considerados do horário de verão contra apenas 26 minutos do horário normal. Também vemos que o gasto de energia da noite é o mesmo (634) em ambos os horários enquanto que o gasto de energia da manhã aumenta muitíssimo, isto é, de 946 para 3.106 minutos. O respectivo total de gastos para os dias considerados é de 1.580 minutos no horário normal contra 3.740 minutos no horário de verão, ou uma relação de 3.740/1.580 = 2,4 vezes (ou 240%), que correspondem a médias de 104 minutos no horário de verão contra apenas 44 minutos no horário normal. 
Na Tabela 3 também vemos que o gasto total de luz no horário normal é maior de manhã do que à noite, cuja relação é de 946/634 = 1,5. Na Tabela 4 vemos que esse gasto também é maior na parte da manhã, mas que a respectiva relação é de 3.106/634 = 4,9, ou seja, o gasto de luz aumenta muitíssimo no horário de verão.

Ou seja, a grande massa de trabalhadores que precisa sair de casa muito cedo e na escuridão e passa todo tipo de problema por causa disso, ainda tem sua conta de luz aumentada no período do horário de verão e não é por causa do ar condicionado! 
Mas, ainda tem mais. Como nem todos os integrantes das casas saem todo dia, vamos considerar que a maior parte dessa população acorda às 6:00, que nessa hora as luzes das casas são acesas e ficam assim até o nascer do sol. E, no final da tarde, há os gastos de luz ou energia desde a hora do pôr do sol até a próxima hora cheia da noite, ou seja, 19:00 no horário normal e 20:00 no horário de verão. 
Assim, para o horário normal, 
DM-N = 6:00 – hora nascer do sol 
DN-N = 19:00 – hora pôr do sol 
E para o horário de verão, 
DM-V = hora nascer do sol – 6:00 
DN-V = 20:00 – hora pôr do sol 
E para o total nos dois horários, 
SD-N = somatório dos gastos da manhã e da noite no horário normal.
SD-V = somatório dos gastos da manha e da noite no horário de verão. 

TABELA 5  GASTOS DE LUZ NOS 2 HORÁRIOS – ACORDAR ÀS 6:00
DIA
DM-N
DN-N
DM-V
DN-V
SD-N
SD-V
17/10
0
48
32
48
48
80
21
0
46
28
46
46
74
24
0
45
26
45
45
71
28
0
42
23
42
42
65
31
0
41
21
41
41
62
04/11
0
38
19
38
38
57
07
0
37
17
37
37
54
11
0
34
15
34
34
49
14
0
32
14
32
32
46
18
0
29
13
29
29
42
21
0
27
12
27
27
39
25
0
24
11
24
24
35
28
0
22
11
22
22
33
02/12
0
20
11
20
20
31
05
0
17
12
17
17
29
09
0
15
13
15
15
28
12
0
13
13
13
13
26
16
0
11
15
11
11
26
19
0
9
16
9
9
25
23
0
7
18
7
7
25
26
0
5
20
5
5
25
30
0
4
22
4
4
26
02/01
0
3
24
3
3
27
06
0
2
27
2
2
29
09
0
2
29
2
2
31
13
0
1
32
1
1
33
16
0
1
34
1
1
35
20
0
2
37
1
2
38
23
0
2
39
1
2
40
27
0
3
42
3
3
45
30
0
4
44
4
4
48
03/02
0
4
47
6
4
53
06
0
8
49
8
8
57
10
0
10
51
10
10
61
13
0
12
53
12
12
65
17
0
14
56
14
14
70
Total
0
634
946
634
634
1.580


Aqui, mais uma vez, vemos que o horário de verão aumenta muito o consumo de energia em relação ao horário normal e tem uma relação de 1.580/634 = 2,5 ou 250% a mais. Ou seja, a maioria da população que acorda às 6:00 e suas casas permanecem com as luzes acessas até o nascer do sol, também terá suas contas de luz aumentadas durante o horário de verão. 
Portanto, juntando a grande massa de trabalhadores que acorda às 5:00 com a boa parte da população que acorda às 6:00 e permanece em casa, vemos que a grande maioria da população terá suas contas de luz aumentadas no horário de verão e não é por causa do ar condicionado!
Assim, como a grande maioria da população tem seus gastos de luz e suas contas de energia aumentadas no horário de verão, como é que o governo brasileiro explica que há economia de energia para as geradoras e para o País?? E, como há maior consumo de energia no horário de verão, também há maior consumo de água das hidrelétricas, termoelétricas e nucleares. 
Desta forma, somente as casas e todos os seus integrantes que podem se acordar rigorosamente após as 7:00 todos os dias do período e que podem se divertir externamente no fim da tarde, terão redução nas contas de luz durante o horário de verão, mas esta é uma pequena parcela da população cuja economia de energia resultante não justifica a adoção desse horário. 
O governo brasileiro também faz propaganda de que no horário de verão há uma grande economia de energia nos horários de pico (manhã e noite). Ora, as horas de consumo-pico foram apenas deslocadas em uma hora e deslocamento de hora não produz redução de consumo.
As empresas, que não precisam se acordar às 5:00 ou 6:00 e têm como horário comercial o período que vai das 7:00 ou 8:00 às 18:00, não são afetadas pelo horário normal nem pelo horário de verão, porque o nascer e o pôr do sol em ambos os horários acontecem antes das 7:00 e depois das 18:00. Portanto, elas não produzem economia de energia por causa do horário de verão. 
O horário de verão propicia o deslocamento das horas de consumo-pico e, assim, evita a sobrecarga nas subestações e linhas de transmissão, mas como agora têm as termelétricas operando em algumas horas é possível que esse problema não exista mais. Além disso, a duração dos consumos de pico é de apenas alguns minutos a cada vez, sendo que no resto do dia os equipamentos de geração ficam praticamente superdimensionados. E com a escassez de água nos mananciais, aumento de consumo desnecessário e prejudicial ao povo e ao País não é o que interessa.
Se o expediente começasse às 9–10 horas da manhã, aí o horário de verão traria alguma economia de energia para a população e o País. Se o DM da Tabela 2 fosse zero porque toda a população do País se acordasse rigorosamente depois das 7:00 (teria que mudar o expediente e também os hábitos da população), a respectiva redução no gasto de energia seria de 3.106 minutos = 52 horas para os dias considerados do período. Mas, obviamente, seria mais se todos os dias do período tivessem sido considerados aqui – seria cerca de 2,7 vezes mais do que 3.106 minutos ou cerca de 140 horas. É importante ressaltar, porém, que esta seria uma economia de energia em relação aos gastos de quem se acordasse sempre às 5:00 no horário de verão, mas, para quem tivesse o costume de se acordar sempre às 7:00, independente da época do ano, a economia seria a mesma tanto no horário normal quanto no horário de  verão. E como nem o horário comercial, nem os hábitos da população, nem a organização, nem a estrutura de transportes do País mudam, a aplicação do horário de verão é completamente errada ou pura enganação.
- O "National Bureau of Standards" dos EUA revisou o horário de verão de 1976 e não achou nenhuma economia significativa de energia. 
- Em 2000 quando partes da Austrália adotaram o horário de verão a partir do fim do inverno, o consumo geral de eletricidade não diminuiu, mas o consumo-pico da manhã aumentou. 
- No oeste da Austrália durante o verão de 2006-2007, o horário de verão aumentou o consumo de eletricidade durante os dias quentes e o diminuiu durante os dias mais frios, tendo o consumo geral aumentado 0,6%.
- No Japão, uma simulação de 2007 estimou que o horário de verão aumentou o consumo geral de energia nas residências em 0,13%.
- Um estudo de 2007 mostrou que iniciar mais cedo o horário de verão teria pouco ou nenhum efeito no consumo de energia daquele ano na Califórnia.
- Um estudo de 2008 examinou os dados de consumo em Indiana antes e depois que este Estado dos EUA adotou o horário de verão em 2006 e concluiu que o horário de verão aumentou o consumo geral residencial de eletricidade de 1% a 4%.

= = = = = = =

P. S.: O endereço específico para referenciar este artigo é 

http://sartori-aquecimentoglobal.blogspot.com/2016/10/horario-de-verao-pura-enganacao-ernani.html

Nenhum comentário: