Follow by Email

Translate

terça-feira, 21 de abril de 2015

TORNADOS E FURACÕES NO BRASIL
Mais uma vez uma cidade no Brasil ficou quase completamente arrasada por causa de tornados ou furacões, desta vez por um tornado em Xanxerê, Santa Catarina, em 20/04/2015.
Que ninguém vá dizer que isso era normal neste país! Nem tampouco pode dizer que isso é fenômeno natural ou consequência do suposto e errado “aquecimento global causado pelo CO2”, pois em ambos os casos as temperaturas são da ordem de grandeza ambiente e essas não têm poder para causar grandes diferenças de temperaturas nem grandes diferenças de pressões que geram os fortes ventos.  
Como já tenho mostrado e demonstrado neste blog e em outros artigos há muito tempo, essas destruições são consequências do aparecimento e intensa instalação de termelétricas no Brasil desde 1995. Desafio a imprensa ou quem quer que seja a mostrar reportagens ou documentos de que isso acontecia e com tanta frequência e destruição antes de 1995.  
Logo depois que aconteceu o furacão Catarina em 2004 em Santa Catarina e o furacão Katrina em 2005 nos EUA, busquei as leis da termodinâmica para tentar explicar tais fenômenos. E calculei as velocidades dos ventos desses eventos com base nas temperaturas que os originariam. Não dá pra mostrar os cálculos aqui, pois são muito extensos, mas vou mostrar seus resultados.
A divulgada velocidade do vento do furacão Catarina foi de 180 km/h. Para essa velocidade, meus cálculos indicam que é preciso ter uma temperatura do ar da ordem de 230 ºC. A divulgada velocidade do vento do furacão Katrina foi de 280 km/h. Para essa velocidade, meus cálculos indicam que a temperatura do ar teve de ser da ordem de 360 ºC. Obviamente não são temperaturas da ordem de grandeza ambiente. Para haver tão altas temperaturas são necessárias fontes de calor artificiais, não naturais! E, para mim, não há outras fontes artificiais capazes de gerar tão altas temperaturas em bolsões do ar senão as termelétricas. Se alguém encontrar outra fonte que tenha esse poder, que me avise, por favor.  
Essas temperaturas que calculei são para movimentos e deslocamentos lineares do vento. Um tornado também se desloca em linha reta, mas ele é caracterizado por movimento rotacional, que é o que destrói tudo, consequência de diferenças de temperaturas internas, como penso eu. Para esse tornado de Xanxerê a velocidade estimada pelos meteorologistas ficou entre 200 e 300 km/h.