Follow by Email

Translate

sábado, 5 de abril de 2014

FURO MUNDIAL!

A NASA fracassou nas viagens espaciais e agora parece estar se dedicando mais à questão do “aquecimento global causado pelo CO2” para ocupar seu tempo ocioso. Inclusive, o respectivo instituto leva o nome ‘espacial’, mas agora se dedica à atmosfera. Mas, esperava-se que ela falasse diferente dos empíricos, mas, ao contrário, fala tudo igualzinho, ou seja, repete e sustenta toda a “ciência” empírica, cujos absurdos sempre tenho demonstrado. Por isso ela vai soçobrar de novo, pois a essência “científica” dessa gente está mesmo errada, seus pilares e métodos não se sustentam. Vamos ver mais coisas aqui que reforçam e comprovam ainda mais as minhas análises e com grandes e novas bombas!

Eu tinha dúvidas sobre o que realmente é a “temperatura superficial” que a literatura dos empíricos se refere, mas nunca a define, então resolvi escrever diretamente para o diretor do instituto GISS da NASA, que é o que cuida dessa área. Então, por temperatura superficial entende-se a temperatura do AR próximo do chão e medida entre 3 e 15 metros de altura, normalmente, mas não há um padrão para tais medições. Até aí nada demais, isso já era esperado e essas diferenças de alturas não chegam a representar grande problema se toda vez as medições forem tomadas nos mesmos lugares.

A conversa que se seguiu é que trouxe incríveis novidades e que apenas confirmam perfeitamente tudo o que venho dizendo. Conhecer ou ouvir as bases que constituem aquela “ciência” diretamente de alguém que comanda um órgão tão importante e que influencia o mundo sobremaneira é de aterrorizar.

BOMBA! BOMBA! BOMBA! Há poucos dias a NASA divulgou (também por vídeos) que a temperatura média do planeta é de 14 ºC e que ela aumentou 0,6 ºC em 2013. Agora vejam o que esse diretor disse sobre esse número e sobre como são obtidas as temperaturas que influenciam o mundo: “14 ºC is a rough (not very useful) estimate based on a combination of observations and model runs, an imprecise and in my opinion useless piece of information”. Traduzindo: “14 ºC é uma grosseira (não muito útil) estimativa baseada em uma combinação de medições e de execuções de programas de modelos, uma imprecisa e, em minha opinião, inútil peça de informação”. Ele disse: as temperaturas são obtidas por medições e também por modelos, ou seja, com interferência humana direta! Em outras palavras, possíveis manipulações, já que tais temperaturas não são obtidas somente por medições! E que o valor de 14 ºC é um resultado grosseiro. Então, se esse valor é um resultado grosseiro, como é que eles se atrevem a dizer que a temperatura média do planeta é de 14 ºC e que aumentou 0,6 ºC, já que tal acréscimo estaria facilmente dentro da margem de erros dessas medições e interferência humana? Isso não é ciência!

Aparentemente ele discorda desses dados e isso surpreende muito, pois foi exatamente o instituto que ele dirige que divulgou esses dados. E ainda tem muito mais da conversa que demonstra que a ciência da NASA nesse assunto não é nada diferente da dos empíricos. Mas, vou contar isso na próxima mensagem em que a partir dos respectivos emails foi mostrado que até a temperatura média do planeta não é de 14 ºC.