Follow by Email

Translate

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

SACOLINHAS

Agora querem proibir novamente o uso de sacolinhas. O pessoal diz que o plástico dura cerca de 400 anos e que isso é um enorme problema. Ao contrário, isto é a grande solução! Que bom que ele dura tanto, pois pode ser reciclado muitas vezes, com lucros para o ambiente e para a economia de energia, de materiais e do planeta. Ninguém reclama que as latinhas de alumínio duram mais ainda, pois é sabido que elas podem ser recicladas quase infinitas vezes produzindo muitas vantagens! Reciclando latinhas de alumínio gasta-se apenas 5% da energia que seria necessária para produzir a mesma quantidade de latinhas a partir do material bruto da natureza. Praticamente a mesma quantidade de latas serve sempre para toda a população, bastando apenas repor algumas poucas perdas bem como devido ao aumento de consumo e da população.Com o plástico é a mesma coisa, reciclando economiza-se muito petróleo. 
Além da reciclagem de plásticos, ainda há um processo semelhante ao micro-ondas através do qual já é possível obter óleo e gás de pneus e plásticos, isso não é incrível? Desperdícios devem ser evitados, mas em vez de proibirem o uso de plásticos eles deveriam ajudar a implantar tais fábricas e processos. Na Alemanha, empresas disputam entre si o lixo das casas para produzirem energia e produtos reciclados e, assim, há enorme economia de energia e de materiais bem como os lixões são eliminados. Lixões são sistemas ultrapassados.
Ah, mas as sacolas vão parar nos rios! No Japão não há uma só sacola que vai parar nos rios! Então, a culpa não é do plástico! Educação e organização pública são necessárias. Dentro de shoppings, com as mesmas pessoas e educação de fora dos mesmos, ninguém joga papel no chão. Serviços de recolhimento de lixo precisam ser aprimorados e modificados bem como devem ser estendidos de forma frequente e eficiente para as periferias das cidades onde os problemas sociais são enormes e faltam serviços públicos, cuja ausência de meios acarreta conhecidas consequências ambientais em rios e terrenos, não é um shopping zeloso que oferece condições de manutenção para bons e agradáveis ambientes.
Além disso, plásticos de todos os tipos continuarão a ser vendidos, inclusive sacolinhas para lixo, não resolvendo o que querem proibir. E caixas de papelão podem vir contaminadas e com insetos e contaminarem os alimentos e as casas, prejudicando a saúde das pessoas e do ambiente. E as sacolas retornáveis também se contaminam com o reuso, além de que estas serão lavadas várias vezes consumindo mais água e sabão que sujarão ainda mais os rios. Ninguém se deu conta disso, nem os ecologistas. O que é melhor, ganhar com a reciclagem ou perder mais água e jogar mais sabão e água suja nos rios? E papel e papelão também vão parar nos rios assim como outros produtos, não apenas plásticos. As sacolinhas e as retornáveis, mesmo compradas, também irão parar nos rios, se melhorias das condições sociais, de recolhimento de materiais e da organização pública não forem adotadas. Atacar as sacolas é não enxergar o principal, que continuará o mesmo.
Mas, quem faz as compras com carro pode ajudar a economizar matéria-prima sem transtornos. É só colocar os produtos diretamente no carrinho sem sacolinhas e sem caixas, colocá-los no carro sem sacolinhas e sem caixas e descarregá-los em casa, sem grandes complicações. Quem mora em prédio tem à disposição outro carrinho para levar as compras até o apartamento. Pode-se abrir uma caixa de papelão e colocá-la no carrinho como proteção aos produtos. Isto serve até como exercício neste mundo sedentário.