Follow by Email

Translate

domingo, 3 de maio de 2015

A DERRUBADA dos conceitos
Foi publicado o artigo CLIMATE CHANGES: HOW THE ATMOSPHERE REALLY WORKS (Mudanças Climáticas: Como a Atmosfera Realmente Funciona), no qual eu esperava chegar e cheguei assim como eu esperava chegar nO ARTIGO e cheguei, depois de simples intuições iniciais, porém com base em certos conhecimentos. Ambos correspondem a uma grande gama de novos e corretos conceitos baseados nos princípios físicos e que derrubam os dogmas ou pilares dos empíricos da “ciência” do “aquecimento global causado pelo CO2“ e respectivas mudanças climáticas. Esses novos conceitos, inclusive confirmados com dados reais e cálculos matemáticos, formam uma nova teoria, consistente, coerente e transparente sobre o correto funcionamento da atmosfera e de mudanças climáticas, estas que podem sim ser causadas pelo ser humano, mas não do jeito que nos disseram até hoje. Esse artigo de agora demonstra e derruba mais especificamente os dogmas ou pilares dos empíricos do CO2.
Os empíricos do CO2 dizem muito, mas provam nada e quando tentam fazem sem base científica. Um exemplo é o do IPCC, em cujo site tem o título “The Physical Science Basis”, de onde se esperava encontrar a ciência física que fundamentasse tudo o que dizem e todas suas “previsões” e catástrofes, mas onde não tem absolutamente nada de ciência ou princípios físicos, ao contrário, só se vê afirmações empíricas com seus métodos e conceitos muito particulares e imaginativos (“achismos”) bem como intermináveis “previsões” feitas com seus “modelos”. E sempre afirmando que o CO2 é o responsável por tudo, embora esse gás com cerca de 0,039% de concentração na atmosfera e sem nenhum poder especial não tem poder para comandar a temperatura e o clima. Além disso, fazem “previsões” com resultados “exatos”. Primeiro: uma simulação sobre comportamentos da atmosfera nunca produz resultados exatos, inda mais que os pilares “científicos” deles são totalmente errados ou infundados, como demonstro nos dois artigos. Segundo: a verdadeira ciência não faz previsões, faz constatações. Terceiro: já é sabido que essa turma frauda medições. Também demonstro em A DERRUBADA que o CO2 não é decisivo para a formação e mudança das temperaturas das atmosferas de Vênus, Marte, Mercúrio, Júpiter e Terra, mesmo sendo as atmosferas dos dois primeiros constituídas por quase 100% de CO2.
Os empíricos do CO2 e sua máfia tornaram o “aquecimento global causado pelo CO2” como questão política e intimidatória e não é mais nem nunca foi científica!           
O ARTIGO demonstra ineditamente, entre muitas outras coisas, que a atmosfera e o planeta funcionam de acordo com dois sistemas da área de energia solar: um destilador solar e um evaporador solar, ou seja, um evaporador fechado e um aberto e não de acordo com uma camada de CO2 rodeando a Terra ou com uma estufa agrícola sem água. O Novo Ciclo Hidrológico, descoberto por Sartori, também está demonstrado física e matematicamente nos dois artigos.
Obviamente, os artigos não foram publicados em revistas da turma deles, pois estas não aceitam as provas científicas de que os pilares ou dogmas da sua “ciência” são errados e insustentáveis e também porque os conhecimentos teóricos constantes nos dois artigos não são da alçada deles. Isso prova que essa turma não pratica a ciência verdadeira porque esta nunca se esgota e está sempre aberta em busca de maior aprimoramento. As revistas da turma deles e seus editores são predadores da verdadeira ciência, porque além de publicarem absurdos científicos aos montes a todo instante, não aceitam nada que não seja igual às falácias e absurdos físicos que impõem. E esses editores mentem descaradamente para impedirem a todo custo que a verdade científica apareça e prevaleça. Por isso, meus artigos só poderiam ser publicados em uma revista que não é comprometida com a máfia dessa turma. Pesquisadores do Fraunhofer Institute, da Alemanha, o qual, entre muitas outras coisas, é o criador do MP3, publicam nessa revista. Pesquisadores do INPE e da UFRJ, entre outros, também publicam nessa revista e em outras da mesma editora.           
Daqui pra frente vou comentar os principais conceitos derrubados, cujos novos conceitos também servem pra mostrar como a atmosfera e a interferência humana no clima realmente funcionam. É impressionante ver como a “ciência” dessa turma é feita de conceituações imaginativas e não baseadas em princípios físicos verdadeiros, cujas demonstrações foram concretizadas nos artigos e como imaginei lá no comecinho das minhas intuições.   
Essa turma vai fazer de conta que não leu o artigo ou que o assunto não é com eles e vão continuar impondo a ciência fajuta deles, pois não querem perder a boquinha, mas o que importa é que agora A DERRUBADA está disponível a todos e de graça. O mundo todo pode agora ficar ciente de quanta coisa fundamentalmente errada existe em relação ao que nos foi dito até agora e aos conceitos que usam para sustentarem sua “ciência”, bem como pode conhecer novas descobertas e desenvolvimentos que fiz. Os corretos conceitos estão agora visíveis a todos, sendo que alguns desses conceitos são básicos na ciência, mas essa turma não os conhece. Além disso, outras pessoas, que são sérias, inclusive pesquisadores, mas que até hoje não conseguiram entender se e como se dá a real interferência humana no clima, que não é homogênea no planeta, mas que também não é apenas localizada, também poderão aprender como isto acontece. 
A imprensa também não deixa passar a verdade científica e por isso participa da máfia deles. Essa imprensa tem parte por perpetuar uma ciência sem ciência, completamente errada, incipiente, incompleta, inconsistente, incoerente e também muito falsa (além dessa turma não permitir questionamentos e demonstrações físicas sobre o que ela faz errado, também pratica outras fraudes como vistas no CLIMATEGATE e no NASAGATE-ver abaixo) sem dar vez aos outros. A imprensa exige liberdade de expressão, mas faz mais censura do que a censura da ditadura enquanto publica mentiras e vulgaridades. 
Se essa turma não mudar nada é porque não trabalha em prol do conhecimento, da ciência e da humanidade. Na verdade, os empíricos do CO2 estão mais interessados em sustentarem a sua “ciência” e seu status quo político, econômico e midiático a todo custo, não importando com o prejuízo do quê e de quem quer que seja. E agora estão até intimidando quem discorda deles, como o Al Gore que disse “Precisamos punir os negadores das mudanças climáticas [causadas pelo CO2]”, o que mais uma vez prova que o que fazem não é ciência. Como não conseguem convencer pela ciência, querem “convencer” pela força e pela fraude.