Follow by Email

Translate

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

CIÊNCIA ERRÔNEA QUE MOVE O MUNDO INTEIRO
ERNANI SARTORI Cientista
Para se resolver bem um problema é preciso primeiro conhecê-lo bem, mas o IPCC (instância máxima do planeta sobre mudanças climáticas) e suas “ciências” empíricas não conhecem, não entendem e não descrevem correta e cientificamente o funcionamento da atmosfera atual e mesmo assim fazem “previsões” para 100 anos. O que descrevem têm bases errôneas atualmente, então como esperar que suas previsões tenham algum valor? E a verdadeira ciência não faz previsões.
Vamos ver alguns desses conceitos. 1) Não conhecem o correto funcionamento da evaporação, a qual está (mas não sabem) no coração de todo o problema das mudanças climáticas; 2) suas famosas fórmulas para a evaporação são empíricas, sem nenhum significado físico e dão resultados absurdamente errados; 3) para o aquecimento “global” e efeito estufa não incluem a água, então como justificar tantas e violentas enchentes que ocorrem no mundo inteiro? O novo ciclo hidrológico que descobri e registrei explica isso muito bem; 4) o CO2 não é o principal gás de efeito estufa; 5) na classificação do IPCC, o CO2 é o gás que tem o maior potencial de aquecimento global (GWP) e tem valor fixo e igual a 1, sendo que todos os outros gases dependem desse valor e o vapor d’água não consta. Mas, se na realidade o CO2 está sempre aumentando, como pode seu potencial ter valor constante?; 6) sua representação do efeito estufa do planeta não inclui a água. Se o planeta é composto por 70% de água e o vapor d’água é o principal gás de efeito estufa, tal conceituação é errada; 7) as medições dos níveis de CO2 são feitas no Havaí, um lugar recheado de vulcões em atividade e cheio de gases muito além do normal. As medições deveriam ser feitas em vários lugares do globo, pois as causas do aquecimento global são mais locais do que globais; 8) só consideram as massas dos gases e não seus calores, o que modifica muito; 9) seus modelos são empíricos e são ajustados para darem os resultados desejados (que absurdo!) e, mesmo assim, erram muito. Seus modelos não conferiram com a realidade do período 2000-2009; 10) vários de seus conceitos violam as leis da termodinâmica. Mais explicações em outros artigos deste blog e em http://noparadoxes.tripod.com.
Tal “ciência” baseada em conceitos muito errados move o mundo inteiro. A imprensa brasileira faz mais censura do que a censura da ditadura, não é patriótica, impede a liberdade de expressão e não pratica a democracia.