Follow by Email

Translate

domingo, 8 de novembro de 2015

ABSURDA INSANIDADE DA PSEUDOCIÊNCIA DO CLIMA
A Lógica diz que se a premissa for errada, as conclusões serão erradas. Isso vale pra qualquer situação da vida e também acontece sistematicamente com a pseudociência do clima do CO2. Nada, absolutamente nada, do que essa turma diz consegue respaldo científico mais adiante quando a gente analisa as questões à luz dos princípios físicos, como já demonstrei em inúmeros artigos científicos nacionais e internacionais. É uma “ciência” muito fajuta mesmo, podem acreditar! E inclusive feita nas principais universidades do mundo. A histeria provocada pela repercussão que a grande imprensa parcial e sem critério dá para o tal aquecimento global e suas “soluções”, provoca crença errônea não só na população incauta, mas também nos incautos governos, universidades, cursos, instituições, etc, ao redor do mundo, os quais por sua vez fazem a pseudociência continuar a produzir insanidades dos mais altos graus. As revistas predadoras da verdadeira ciência não deixam passar nada do que não for igual ao que dizem e publicam e assim o mundo já não analisa nada mais com base nos princípios físicos (na verdade, não os conhecem) que deveriam sustentar dita “ciência”, então o mundo apenas aceita, segue e repercute tudo sem pensar. A pseudociência não precisa provar nada e mesmo assim o mundo vai atrás.  
Já mostrei em diversos artigos que as bases científicas dessa turma são completamente erradas e geram errôneos entendimentos e conclusões. Agora apresento mais uma aberração dessa pseudociência. Seus integrantes produzem suas próprias insanidades. Como a premissa das “mudanças climáticas causadas pelo CO2” está errada, as soluções ou conclusões que eles mesmos encontram e propõem só podem ser erradas. Entre outras, é o caso da geoengenharia, termo e propostas criadas pela pseudociência do clima. 
Nessa geoengenharia, há várias propostas para supostamente conter o pseudoaquecimento global, entre elas a de jogar água e sal para o alto, a qual expliquei no artigo “Carro a água” deste blog Agora vou falar sobre outra dessas absurdas propostas.
As pessoas endeusam certas universidades do mundo, mas não sabem as aberrações que elas e seus professores e pesquisadores são capazes de fazer, ao mesmo tempo em que têm tais insanidades publicadas mundo afora. Inclusive, já cansei de corrigir erros crassos e básicos de teses de doutorado e artigos de principais universidades do mundo e também das mais conhecidas do Brasil. Professores dessas universidades e de outras, como por exemplo, David Keith, de Harvard, propôs jogar óxidos de enxofre na atmosfera para diminuir o aquecimento “global”. Ele quer jogar partículas de óxidos de enxofre para criar uma barreira refletiva que mudaria a direção da radiação solar e diminuiria a temperatura global. Alguns aviões voando a 20 km acima da superfície jogariam uma fina camada de óxidos de enxofre através de spray uma vez por ano para refletirem um por cento dos raios solares. Além de tudo o mais explicado abaixo, é como se a atmosfera não tivesse correntes de ar e permanecesse por um ano inteiro do jeito que esses incautos acham.
Se essa proposta tivesse sido feita por um estudante, ele receberia nota estrondosamente zero, por mostrar que não entende nada de nada, nem do clima, nem da atmosfera, nem do planeta, nem de química, nem de ambiente, nem de saúde, nem de responsabilidade. Tais propostas são tão insanas e infantis! Os óxidos de enxofre se referem a muitos tipos de compostos como SO, SO2, SO3, S7O2, S6O2, S2O2, etc, e, por isso, são conhecidos por SOx, os quais se combinam na atmosfera para formarem ácidos e outros compostos. Por exemplo, o SO2, que também vem da queima de carvão e de vulcões, é oxidado na atmosfera e forma o SO3, o qual também é um gás e combinado com água produz chuva ácida, como representado pela equação química
SO3 + H2O => H2SO4   (ácido sulfúrico).
A chuva ácida é mais ácida do que limão e vinagre e pode ser tão ácida quanto o ácido de baterias. Além dos incontáveis danos que essa chuva pode causar ao solo, vegetação, rios, lagos, prédios, monumentos, veículos e matar a fauna e flora aquática ou não, o acúmulo de dióxido de enxofre no organismo humano pode causar danos irreversíveis aos pulmões.  
Já não bastasse isso tudo, esse professor também propõe jogar o próprio ácido sulfúrico para a atmosfera. O ácido sulfúrico, além de ser agente da chuva ácida e poder cair tal como ele é, combinado com o SO3 produz o óleum, um líquido denso e corrosivo, também conhecido como ácido sulfúrico fumegante, conforme a seguinte fórmula  
H2SO4 + SO3 => H2S2O7  (óleum).
Ou seja, além de suas bases serem erradas cientificamente, os processos e resultados escapariam totalmente do controle bem como o clima pioraria, ou será que vulcões melhoram o clima e o ambiente? E as revistas dessa máfia da pseudociência publicam tais insanidades como coisa normal enquanto não permitem trabalhos que mostram os princípios físicos do verdadeiro funcionamento da atmosfera. Não é ciência o que fazem! É incrível e inimaginável que alguém proponha jogar tais coisas para o alto e que essas aberrações sejam feitas em universidades ditas de excelência. É a absurda ignorância científica da pseudociência do clima e do poder da mídia parcial que paralisam as mentes e conduzem a caminhos errados. Essas propostas não resolvem absolutamente nada, pioram tudo e, ainda mais absurdo, não têm base científica correta e assim não existe o problema que querem resolver. A pseudociência do clima do CO2 tá acabando até com as universidades mais conhecidas.
Já expliquei tudo cientificamente em muitos artigos nacionais e internacionais e agora vou apenas me referir brevemente sobre algumas questões: 1) a radiação solar/térmica bem como os efeitos de estufas de gases não são as únicas formas de energia para o aquecimento/resfriamento da atmosfera e consequentemente para a formação da temperatura do ar, então só isso desmonta toda a pseudociência do clima; 2) não entendem a questão e assim querem atacar os raios solares; 3) causar tanto problema e consequências imprevisíveis para supostamente reduzir em um por cento a energia solar é tremendamente risível; 4) o efeito estufa causado pelo CO2 é irrisório e não tem poder para causar nenhuma catástrofe! Sua influência na temperatura do ar é de menos de um por cento!; 5) a grande influência humana no clima que pode sim alterar os ciclos naturais da atmosfera se dá de forma direta, não indireta pelo efeito estufa de gases; 6) há muita fraude e manipulação nos dados que essa turma apresenta sobre aquecimento do planeta, como já mostrei neste blog (ex. Climategate, “taco de hoquei”, NASAGATE); 7) há muita insanidade científica nos dados sobre o CO2 e o respectivo aquecimento do planeta, como já mostrei neste blog; 8) esse professor, sua universidade e sua turma não conhecem nada sobre como se dá a verdadeira influência humana no clima, como tenho sempre demonstrado física, matemática e experimentalmente.