Follow by Email

Translate

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Não posso me cansar de dizer que o IPCC e suas "ciências" não entendem bulhufas sobre o funcionamento da atmosfera, porque não me deixam. Além dos incontáveis absurdos que normalmente encontro em sua literatura (só um ex.: uma das suas equações mais famosas para a evaporação não contém dados sobre a superfície d´água, mas apenas sobre o ar e assim ela produz exatamente os mesmos resultados havendo água ou não, ou seja, para o oceano ou para o deserto e ainda com valores absurdos nada condizentes com evaporação. Essas "ciências" não adotam conhecimentos teóricos e métodos científicos para descobrir coisas tão banais como essas e são as mesmas que formam o IPCC), que dura 200 anos, os contemporâneos formados por ela continuam a produzir "pérolas" de ignorância científica e não negam que sua base é a que tenho me referido.
Estão agora propondo jogar água para a atmosfera com o fim de criar mais nuvens com o fim de diminuir o aquecimento "global". Vou enumerar as principais insanidades dessa proposta:
1. As nuvens funcionam como um "cobertor" e, portanto, aquecem. Num primeiro momento e dependendo de sua cor as nuvens podem resfriar, mas o resultado final é um abafamento. Dúvidas sobre o comportamento das nuvens são justificáveis, mas vejam as insanidades abaixo.
2. Essa proposta demonstra que os respectivos autores e seguidores não conhecem e não dão a certa importância para informações da própria literatura, onde há trabalhos com levantamentos que demonstram que nos últimos 50 anos quase todo o planeta ficou mais úmido, com mais nuvens e chuvas. Então, se para esse mesmo período eles clamam um aquecimento global e mudanças climáticas, não é preciso mais aumentar as nuvens, porque já estão aumentadas pelo ser humano e elas têm muita participação nas mudanças climáticas e no aquecimento atmosférico.
3. Nem é preciso recorrer a complexas teorias para demonstrar quão insana é tal proposta, basta dizer que tudo que sobe, desce e, então, se mais água jogarem pra cima, mais água pra baixo virá. Aliás, o novo ciclo hidrológico que descobri recentemente explica isso cientificamente e não é preciso jogar mais água pra cima, as atividades humanas já vêm fazendo isso há muito tempo e, se hoje temos mais chuvas e enchentes é porque certas atividades humanas já vêm jogando mais e mais rapidamente água, calor, gases e partículas que aumentam as nuvens, chuvas, aquecimento e desequilíbrios. Ou seja, o IPCC e suas "ciências" querem fazer exatamente o contrário do que é certo e assustam o mundo pelo fato da condução do planeta nas questões climáticas estar em mãos erradas.